sábado, 9 de setembro de 2017

O ADEUS INDESEJADO

 jornal

E a vida conseguiu nos separar no dia 3 de setembro de 2016.

Ainda é difícil acreditar/aceitar esta ausência cujo conforto só encontro quando lembro que ele não tem mais dores! Nos últimos 2 meses embora sempre com seu característico sinal de ‘positivo’ nem os remédios aliviavam as dores nos ossos, mas foi um lutador exemplar até o fim!

Sinto necessidade de relatar e assim fechar um ciclo da nossa dupla no campismo/caravanismo.

Quando, em 2010, fomos surpreendidos com dois CAs primários (podes ler a história em detalhes clicando aqui), decidimos divulgar o que estávamos enfrentando como forma de alerta à prevenção.

Em 2012, quando nos preparávamos para pegar a estrada de MH, mais um susto: desta vez um infarto (clica no azul pra leres com detalhes). Aproveitamos o ‘recesso forçado’ do caravanismo para reformar internamente e pintar nossa casa rodante (nas postagens de 2012 tem os detalhes).

Em dezembro daquele ano festejamos com a família e alguns amigos caravanistas, nas termas de Três Arroios, os 66 anos bem vividos do Re. Foi quase um kerb! Isso mesmo após o diagnóstico de câncer de próstata (com índice de Gleinson 9) em exame de rotina que ele fazia regularmente e já com a cirurgia marcada para o mesmo mês.

IMG_2053

Operado novamente por Aguinel Bastian Junior e sua equipe, tudo correu muito bem e sem sequelas aparentes, exceto pelo ‘sexo inoperante’ por conta dos hormônios que passou a tomar após a cirurgia (mas ele sempre acreditando que seria apenas uma fase). O médico nos falou sobre essa condição no seu consultório: “Renato, agora vais olhar para essa morena e enxergar uma porta”, ao que, na sequência, respondi: “My name is door”.

                    Aguinel

Aquele momento foi determinante para enfrentarmos essa nova condição com amor, respeito e admiração mútuos. Quando chegamos em casa, combinamos de nos tratarmos com ainda mais amor e atenção, como se voltássemos aos primeiros meses de namoro, para não perdermos a intimidade que o sexo nos trouxe em mais de 30 anos de relacionamento.

Seguíamos felizes e confiantes. Em 2013 o Re fez várias sessões de rádio e tirou esse processo de letra, como sempre. No segundo semestre já voltamos à estrada.

No ano seguinte, saímos de Floripa (de MH) no dia 16 de março para realizar o Projeto Brasil lá vamos nós 2014, com previsão de retorno para a primeira quinzena de novembro. Neste ínterim voltamos (de avião) à Santa Catarina em três ocasiões (duas a partir de Porto Seguro, uma de Fortaleza) para os exames e consultas do Renato, quando aproveitamos pra matar a saudade dos queridos.

Em 12 de setembro, porém, precisamos antecipar a volta, pois o Rê teve picos de pressão alta. Embora a motivação não tenha sido a melhor, não foi ruim voltar pra casa. Foram tempos cansativos em busca de uma ablação que não ocorreu. Finalizamos 2014 no lindo Encontro de Fim de Ano do RODAMUNDO com as boas cantorias natalinas.

IMG-20141130-WA0004

Em janeiro de 2015, mesmo com a perspectiva de mais um tratamento (mas ainda sem saber da metástase óssea), Re se animou e trocou o MH por um menor (9 metros). Com este me animei a honrar a carteira D. No dia 8 de maio, após mais uma rodada de radioterapia, voltamos à estrada num total de 7.012 km. Fomos primeiro até Abadiânia, em Goiás, de lá revimos Diamantina e depois  tivemos uma inesquecível temporada no camping Mundai, de onde voltamos à Goiás.

Mas a partir de junho os exames nos preocupavam (apontando metástase óssea, e novos tumores primários no único rim entre otras cositas) e exigiram uma grande cirurgia no início de 2016.

No dia 11 de janeiro, novamente a equipe do nosso amigo Aguinel realizou a maior cirurgia que o Re teve. Confiantes ficamos, pois depois de retirarem tudo o que precisava ele poderia fazer as quimios…

Aguinel

      Re12Re35

                     Re39

E Re confiante agradece:

Renato Sowen Motor Home

12 de março de 2016 ·

Ontem completaram 2 meses da minha cirurgia, que, nas palavras do Dr. Aguinel, não foi uma cirurgia e sim um atropelamento. Seis horas e meia de mesa cirúrgica dão uma ideia do que foi feito.
O que penso hoje sobre isso, (a descoberta de um câncer em 2010 que requer até hoje uma constante luta, de cirurgias e medicamentos) é que a vida coloca em nossa frente algumas pedras, maiores ou menores, que precisamos ultrapassar, às vezes com bastante dificuldade. Porém, ao mesmo tempo, essa mesma vida nos cerca de tanta coisa positiva para nos ajudar a enfrentar e ultrapassar estes obstáculos.
Particularmente, tenho inúmeras coisas boas para enumerar. Primeiro, a minha Gracita
(
Graça Soares). Êta mulher porreta que a vida colocou no meu caminho. Sua preocupação, sua determinação firme em me levar a procurar as ajudas necessárias, a sua dedicação permanente em me cuidar e me ajudar, tudo fruto de um grande amor que vivemos. Junto com a Gracita, nossos filhos Heda Wenzel e Vitor Sowen, com seus parceiros Duda e Juliana Pfleger, respectivamente, que são incansáveis no apoio e dedicação.
Segundo, a equipe médica que me assiste. Dr.
Aguinel José Bastian Júnior (e sua equipe fantástica) e Dr. Aiuka. Eles não apenas têm empregado seu vasto conhecimento para me tratar, mas estabelecido uma relação de amizade muito grande.
Terceiro, os meus familiares, que são muitos, pelo apoio e carinho constante, manifestados pelas inúmeras mensagens e orações, como também pelas visitas.
Quarto, os amigos. Nunca imaginei tantos. Foram inúmeras as mensagens e votos de pronta recuperação, sem contar as orações que muitos fizeram. Alguns me emocionaram demais por gestos e atitudes.
Assim, quero agradecer a todos que se transformaram nas energias positivas para eu passar mais essa. Estou profundamente convencido do quanto tudo isso é fator de cura.
A todos, MUITO OBRIGADO e tenham a certeza de estarem presentes sempre nas minhas reflexões como forma de retribuir de alguma forma tudo que me deram.

Só que as coisas não aconteceram como esperávamos e depois da primeira quimio sua debilidade só aumentava. Precisou de várias transfusões de sangue e não pode dar continuidade ao tratamento previsto.

Heda e ReRe59unnamed (63)   Re71

Sempre positivo não se entregava e até junho conseguia ir caminhando até o calçadão tomar um chimarrão ou água de coco e ainda dirigia em Itapema.

Re93

Paralelamente insistia muito para ir a Cerro Largo ver os pais e eu resistia porque achava que seria muito sacrifício pra ele uma viagem tão longa.

Numa das consultas com o Aiuka (onco geral de Florianopolis), no dia 17 de junho, quando já estávamos no carro ele comentou que “pela primeira vez o médico pareceu desanimado e nem falou que ainda tínhamos muitos palitos de fósforo pra queimar”. Neste momento me ligam da UNIMED e precisei voltar ao consultorio para pegar uma assinatura do médico e Re ficou no carro (foi a primeira vez que falei com o médico sem a presença dele).

Falei ao Aiuka o que Re comentou e ouvi que ele estava muito mal e que não teria nem três meses de vida (tô resumindo a conversa) e aí desabei e combinei que Re não saberia pra não perder a esperança.

Avisei Heda, Vitor. Também Neca e Tere que nos acompanhariam até Cerro Largo. Na segunda-feira dia 20 Re saiu dirigindo o motor home.

                          unnamed (37)

Na BR 282 no posto de serviço perto da entrada para Urubici ele teve um pico de dor e precisou tomar morfina. Quis desistir da viagem. Passado a dor perguntou se eu topava dirigir e é claro que topei. Em outubro do ano anterior foi minha prova de fogo: voltando do Encontro Wenzel quando chegamos em Vacaria ele passou muito mal. Horário de ‘pico’, chuviscando, escurecendo e mal estacionados num acostamento estreito resolvi levar o MH até o posto na BR116 onde costumamos pernoitar. Imagina pra atravessar a BR neste horário e condições…

Re96

Dirigi até o apartamento dos sogros em Cerro Largo. O Encontro do Re com o pai foi emocionante!

Re100

Depois disso voltou à ‘boleia’ e estacionou o MH no sitio.

unnamed (59)

E foi em Cerro Largo que ele participou dos últimos eventos festivos junto a família Wenzel: a comemoração dos 93 anos do pai e dos 90 anos da tia Erna.

Re1004unnamed (25)

unnamed (34)

unnamed (30)

Na volta assim que saímos de Cerro Largo me entregou a direção. No dia seguinte, surpreendentemente, dirigiu até Floripa.

No dia 10 de julho fomos para Criciúma para uma semana de radioterapia no tumor que apareceu sobre a vista direita. Isso começamos a encaminhar antes da terrível notícia e foi mantido pra que ele não desconfiasse. Getúlio (presidente do Rodamundo), em viagem, nos cedeu a vaga no estacionamento que fica a uma quadra do hospital e onde íamos a pé e voltávamos de taxi. Ao chegarmos no domingo à noite o Moacir Claudio (Grupo Rodamundo) nos esperava.

Re1011Re1012

Na segunda à noite teve muita dor mas no mais tudo correu bem. Na quinta-feira uns colegas de MH (Os Haraganos) fizeram uma festa surpresa pra comemorar o aniversário de casamento do Moacir e Nara e Re quis ir. Quatro andares sem elevador e ele encarou. Os amigos trouxeram um banquinho onde sentava e descansava sempre que precisava.

Re1018

Re1021

Voltamos para Itapema onde nos revesávamos entre o apartamento, hospital da UNIMED em Balneário Camboriú e hospital de Caridade em Floripa.

unnamed (28)     unnamed (40)

                    unnamed (19)

As dores mais constantes e mais fortes já não me permitiam ‘dormir de conchinha com ele’ e aos poucos foi paralizando partes do corpo. Mas não reclamava e nem se entregava. Continuava gostando de ser fotografado e filmado. Num dia tinha muita dor, no outro levantava bem e cozinhava. Nessa época ele dizia que não tínhamos problemas pois muitos estavam bem pior que ele/nós!  Re só nos surpreendia positivamente. Quando precisou usar fraldão achou ótimo porque poderia dormir sem se preocupar em ir no banheiro. Esse olhar positivo frente às adversidades foi sua característica. Mesmo assim, achava um absurdo que com tanto avanço a medicina ainda não deu conta da dor.

Re1009

A esta altura, Heda já tinha voltado a morar conosco desde julho e foi um alento pra nós. Vitor sempre que dava ou que precisava também se fazia presente (Neca e Tere também).

14ago16

Re1032Re1034Re1037Re1040Re1042

No domingo, dia 14 (aniversário da Heda e dia dos pais), ele já se deslocava quase que exclusivamente com cadeira de rodas. Foi nossa última ‘comemoração’ em família (contando com a surpresa da presença do Calixto/Eliane).

No dia 24 de agosto, com a ajuda do Guto e do Lucas (sobrinhos que moram em BC), Vitor, Heda e eu o levamos de caminhonete (detestou andar de ambulância pois achava muito dura e doía demais)para o hospital em Floripa. Com ‘o coração na mão,’ coloquei na mala a roupa para a cremação. Sabia que ele não voltaria mais para Itapema.

Vivíamos a espera de um milagre que o médico avisou que não viria. Ele ainda avisou que eu devia agilizar algumas coisas. Só na última internação, uma semana antes dele partir, por insistência do médico, fui tratar da cremação. Quando falei ao médico que tinha medo de organizar e ele melhorar e me dizer: – Ô Gracita, já querias me matar? O médico foi taxativo: – Isso não acontecerá!.

Re1046  Re1047IMG-20170908-WA01411 de setembro 2016

No início nos deram um quarto bem acanhado, mas depois fomos transferidos para um maior, onde todos pudemos dormir, atrás da torre do relógio no hospital, com uma linda vista para a ponte Hercílio Luz. Neca fez uma lasanha, levou no hospital e Re adorou. Sempre tivemos o apoio de muitos amigos presencialmente e via redes sociais. Avisávamos o Re disso e ele era grato. Meu pai foi todos os dias e, aos 85 anos, subia o imenso morro a pé (é outro forte). Minha irmã Cassia também ia sempre e coube a ela vê-lo partir num dos poucos momentos em que não fiquei ao lado dele nestes dias todos. Desde que o internamos ele não soltou nossa mão. Por isso, sempre algum de nós ficava de mãos dadas com ele, 24 horas. Num dos últimos dias, eu, Heda e Vitor estávamos ao redor da cama dele, quando disse, emocionado: “- Isso é reconfortante… no sentido de dar conforto”. Na última quinta-feira jantou muito bem a comida que o Vitor e a Ju trouxeram (não queria mais a comida do hospital).

O pior momento era a hora de trocá-lo, pois doíam muito os ossos e a escara que adquiriu.

27 de julho 2016         30 de agosto31 de agosto1

No sábado, dia 3 de setembro de 2016, já não estava mais consciente e, num dos poucos momentos em que me ausentei do quarto, ele partiu, às 14h30.

unnamed (57)

O corpo foi velado e cremado em Balneário Camboriú. Conseguimos fazer uma cerimônia intimista e afetiva, onde quem quis se manifestou. A presença de amigos e familiares foi um conforto para todos nós.

Choveu muito desde a tarde de sábado e no domingo, chegando a alagar a entrada do crematório. Entretanto, ao fim da cerimônia, quando saímos do prédio para acompanhar o sobrevoo dos pombos, a chuva tinha parado e fomos surpreendidos por um céu azul de brigadeiro que nos emocionou.

                          20170903_102810

Após 72 horas seu corpo foi cremado e suas cinzas estão no apartamento até que o coração deste trio que sempre será um quarteto saiba/decida o que fazer com elas.


Ainda não tenho conseguido escrever muito pra ele, mas conversamos todos os dias. Algumas pessoas têm escrito coisas tão emocionantes no Facebook (hoje difícil de encontrar pra reler) que ‘garimpei’ (provavelmente faltam algumas mas que não encontrei e do WhatsApp foi impossível resgatar) e reproduzo abaixo (mas se alguém tiver como resgatar seu texto e me mandar posso incluir):

Aguinel José Bastian Júnior Obrigado pelas palavras carinhosas, meu querido paciente (e amigo). A única batalha que perdemos é aquela da qual desistimos. Sou testemunha da tua coragem e da tua determinação. Sei que abraçaste todas as possibilidades. Foste um verdadeiro guerreiro. Fica aqui meu sentimento e minha homenagem. Não esquecerei de ti e da tua força. Farei dela a necessária narrativa para os que não tiveram a tua determinação. Agradeço às oportunidades de convivência que tivemos. Vai em paz amigo, fizeste tua parte com galhardia e muita, muita coragem.
Ser teu médico nessa caminhada foi pra mim um grande privilégio.
Aguinel José Bastian Júnior

24 de dezembro de 2016 · 

Querida Graça: O facebook me trouxe essa foto hoje, como lembrança de algo que aconteceu há 4 anos atrás.
Lembrei de compartilhar contigo, pois tratar de vocês me marcou fundo, de uma maneira muito positiva.
Beijo grande e Feliz 2017. Que seja um ano restaurador, que te encha de energia boa (a saudade é uma energia boa também, lembre disso).
Beijo grande,
Aguinel


Querido amigo Renato Sowen Motor Home
Como professor nos ensinastes sobre Marx e sobre a importância da educação. Agora estou aqui aprendendo sobre fé e solidariedade participando da corrente de oração para que tuas dores cessem e que a cura te encontre... Rezei o Santo Anjo, a Ave Maria e o Pai Nosso. Ouvi Milton Nascimento cantando o Cálix Bento e nada disso aliviou a angustia que me aperta o peito... depois vim escrever, talvez a forma mais legítima de expressar que acho isso tudo uma grande sacanagem do universo ou de quem quer que seja. Dor por que????? Sei que muitos a explicam pela fé, eu no entanto não sou assim evoluída e meu desejo é que possas sair dessa, que pegue seu sorriso e caias na estrada, me convides para uma panela virada, espraie todo amor que cultivastes pela Graça Soares pelo Vitor Sowen e pela Heda Wenzel o que é sem dúvida tua melhor lição. Força Querid@s! Julia Siqueira da Rocha


Querida amiga Graça Soares. Com profunda tristeza recebemos a notícia.  Me faltam palavras nesta hora tão triste para todos nós  companheiros de estrada. Que tu e teus filhos e toda a família encontrem o conforto e tenham a certeza que agora ele está  em paz. Vamos guardar com carinho os momentos bons que passamos com ele. Fiquem em paz e fiquem com Deus. Nosso abraço com carinho Graça e Renato Sturmer.


Comunico, com pesar, a quem talvez o tenha conhecido e ainda não soube da triste notícia, o falecimento do professor Renato Wenzel, marido da professora Graça Soares, que foi minha primeira superiora em meu primeiro trabalho, como servidor da Faed/Udesc, entre 1994 e 1996. Havê-los conhecido foi um privilégio que tive na vida, de tê-los como colegas e exemplos. Renato teve uma vida digna e feliz, à altura de sua mulher e da família que constituíram. Minha solidariedade a Graça, Heda, Vitor e demais familiares. Jairo Cardoso


Hoje partiu para um outro plano nosso colega da FAED-UDESC, professor Renato Wenzel, companheiro amado de nossa querida Graça Soares, pai amoroso da Heda e do Vitor. Sua vida feliz e produtiva, bem como seu exemplo de luta corajosa  contra a doença que o acometeu, ficam como exemplo de um ser humano especial que dignificou seu tempo de vida junto de sua família e de seus inúmeros amigos e amigas. Lembrando de uma canção que é a preferida da Graça, adaptando sua letra, com certeza todas as pessoas que o conheceram hoje dizem Gracias por sua vida!

Velório em Balneário Camboriu,no crematório,com despedida às 17 horas deste domingo. Sonia Melo


Graça (irmã) e filhos o nosso fraterno abraço  nesta hora difícil.  Que Deus misericordioso cuide muito do Re, que ele não sofra pela separação  pois um dia nos encontraremos todos. Bjs Neyla B. Santana


Heda: seu pai com certeza está descansando dessa batalha tão árdua que ele travou. Você, sua mãe (Graça Soares) e seu irmão o amaram verdadeiramente e nós amigos virtuais somos testemunhas disso. Vocês nos deram uma maravilhosa lição de amor. Que deus esteja com vocês, porque papai Renato Sowen Motor Home já está com ele. bjs. Lucia Guedinho


Existem pessoas que passam por nossas vidas e nos ensinam muito. Com você Renato aprendi: nunca desistir, lutar sempre e acima de tudo fé. Obrigada. Ady O. Bento


Meu tio querido que amo !!!!! Vai estar sempre em meu coração !!! Te amo!!!! #meuexemplo #tioquerido. Diego Dadald


Hoje nosso guerreiro foi descansar. Querido tio e padrinho, o céu hoje recebe um ser humano especial, daqueles raros de se encontrar. Um exemplo para todos da nossa família. Protagonista junto com a Gracita de uma das mais lindas histórias de amor que conheço. Deixarás saudades...

Graça Soares, Heda Wenzel, Vitor Sowen, meu coração está aí com vocês! Muita força! Maíra Colling Wenzel


Meu coração estava com vocês hoje e sempre estará..  Heda Wenzel, Graça Soares, Vitor Sowen, Renato Sowen Motor Home. Uma das pessoa mais incríveis que tive o prazer de ter como tio se foi..mas o legado que deixou de amor, força, luta e sabedoria jamais será esquecido. Amo vocês família Sowen. Thaís Colling Wenzel


Véra Lúcia Bastos Daher Realmente é um SER q faz falta à cada um q teve o privilégio de o conhecer...mas , cá entre nós ; sua ENERGIA SE MANTÉM EM NÓS à cada momento em q lembramos dele, em cada palavra q ele nos ensinou..." In médiun virtus! " Profê = SER de pura VIRTUDE


Boa noite amigos, como adm do grupo não poderia deixar de me manifestar em nome dos membros do grupo referente a partida de nosso membro e campista Renato, esposo de nossa amiga Graça Soares que hoje infelizmente nos deixou,  desejo que deus conforte o coração dos familiares e amigos, nossos sentimentos a família,  hoje a família Não temos pressa, estamos em casa, está triste pela partida desse companheiro. Amiga Graça saiba que tens no grupo o apoio e ajuda para vencer essa empreitada. Que Deus conforte a todos. Tide M. Ferreira


Graça Soares, Gracita, sabendo do ocorrido com seu grande AMOR, fui levada pela emoção ao ler os comentários feitos pel@s teus... Tanto que fui assistir novamente aquela entrevista de 2014, no programa do Encontro - vcs falando sobre o amor - tenho  aquela entrevista salva aqui, de tão linda. Confesso que de novo me emocionei muito e decidi compartilhar novamente, pois as coisas belas da vida merecem ser revisitadas... Nós um dia vamos... O que fica? SEMPRE AMOR! Meus sinceros sentimentos... Bjks em seu coração. Zaira Wagner


Graça Soares 

3 de outubro de 2016 ·

Li o que Heda Wenzel e Vitor Sowen escreveram e choro mais ainda. Também não consigo escrever sobre esta dor que só aumenta e tudo o que ela me traz... A vida que era quase perfeita ficou pesada, difícil e solitária. Não pedi, não almejei nem queria esta liberdade de agora. Dói demais!!! Te amo sempre Re.

ultimo cartãoultimo envelope


Graça Soares

28 de abril · Vila Velha, Espírito Santo ·

Há 35 anos fui morar com o Re depois de 11 dias de namoro. Contra muitas previsões conservadoras vivemos uma linda história de amor. Ela me fez feliz e hoje me permite viver das boas lembranças. Se sofro? Só quem tem ou teve o privilégio de viver um grande amor (que não é, necessariamente, sinônimo de casamento) sabe o quanto a dor é visceral. Ainda não entendo como consigo estar aqui tentando seguir adiante. Amo tanto este homem que só penso que quero que ele tenha orgulho de mim. Amo tanto (e sou grata) Heda Wenzel e Vitor Sowen que não imagino ser um peso na vida deles.
Se me fosse permitido teria morrido com ele mas em não sendo tento seguir fazendo o que nos trazia felicidade...
Boa noite Re. "Por hora" é o máximo que consigo falar porque não é fácil viver com tudo que tua ausência me traz...


Vitor Sowen

Dia 3 de Setembro: um ano sem teu abraço, teus conselhos, teu sorriso e tua companhia... Como passou rápido, como dói (muuuuito). O que me consola que é tivemos uma relação plena entre pai e filho, e não importa a "distância", ESTAREMOS SEMPRE JUNTOS!! #amoreterno #meuidolo#familiasowen

Vitor Sowen 

3 de novembro de 2016 · Instagram · 

Hoje completa 2 meses sem ele, meu melhor amigo!
Saudade que só aumenta e dói... Não costumo lamentar a perda do pai, pois foi certamente o melhor pai que eu poderia ter. Os 32 anos que passamos juntos foram intensos, regados com muito amor, companheirismo e amizade... mas hoje em especial, a dor supera um pouco essas boas lembranças que tenho!!
Sei que vai passar, mas hoje tá f...
#desabafo #meupaimeuheroi #saudadedaporra #amoprasempre ❤ ❤


Vitor Sowen 

1 de dezembro de 2016 · Instagram ·

Hoje é NOSSO DIA!
Durante 32 anos, dia 01 de Dezembro foi dia de um forte abraço, de uma ligação carinhosa desejando feliz níver mutuamente... dia de fortalecimento de um amor gigantesco. Hoje infelizmente não posso fazer nada disso, dói pra c... mas sei que onde quer que estejas pai, estás comigo. Então Parabéns pelo seu dia também pai... te amo mais que tudo!!
Apesar disso, sou abençoado por ter uma família linda, que amo muito: mãe e mana, vcs são tudo pra mim.
Abençoado também pelos amigos e familiares que tenho...obrigado pelo carinho de sempre, vcs são especiais!
#saudadedaporra #nossoniver#eueele #muitador


Vitor Sowen 

3 de setembro de 2016 · Florianópolis ·

Nosso guerreiro se foi!!! Dessa fez a doença foi mais forte e levou meu herói. Sentimento de tristeza profunda, mas ao mesmo tempo tenho certeza que vivemos o melhor das nossas vidas JUNTOS!
Quem conheceu o pai sabe o ser humano lindo que ele foi, um exemplo de amigo, parceiro, marido e sem dúvida O MELHOR PAI QUE EU PODERIA TER.
Sei que onde ele estiver vai continuar cuidando de nós como sempre fez!
Pai, obrigado por ser você, por ser meu amigo, meu conselheiro e por estar comigo em todas as horas... e pode ter certeza: "verás que um filho teu não foge à luta". Estaremos firmes e fortes levando vc conosco sempre... TE AMO  ❤ ❤ ❤
Mãe
Graça Soares, mana Heda Wenzel estaremos ainda mais juntos... amo vcs mais que tudo tb! #meupaimeuheroi #amoprasempre


Heda Wenzel com Vitor Sowen e outras 3 pessoas.

3 de setembro de 2016 · Instagram ·

3set16Meu herói descansou. Fez a passagem do jeito que merecia e que eu desejo a todos os que amo: tranquilo, sereno, comigo perto. Foram anos tão bem vividos. Fizemos tudo o que a medicina convencional atual e também a espiritual podiam, para ajudar. Dois sentimentos antagônicos tomam conta de mim. O primeiro é a gratidão. Gratidão à vida por ter me feito filha dele e a ele próprio, por ter escolhido ser meu pai e por ser sempre mais que um pai, mas meu melhor amigo, meu conselheiro, incentivador de todas as horas, o amor da minha vida! Gratidão ao Aiuka e ao Aguinel, por serem médicos tão humanos e tão cuidadosos com ele, e também a toda a equipe do Hospital de Caridade, que nos ajudou com os cuidados nas últimas semanas. Gratidão a tantas e tantas demonstrações de afeto, vindas de longe e de perto, de pessoas que só nos conheciam de vista, ou que não vemos há anos, ou até que nem conhecemos pessoalmente. Isso me fez reacreditar na humanidade. Obrigada, mesmo! Mas também tem a dor... essa, eu sei, não me deixará jamais. Nunca perguntei o motivo de passarmos por isso, mas agradeço porque, se doi tanto, é porque existem mais de uma vida de motivos para essa saudade visceral. Agora é aprender a conviver com ela e esperar que de vez em quando a vida nos surpreenda com pequenos motivos que nos façam sorrir novamente.

PAI, tu és o homem da minha vida e sabemos que a nossa ligação vem de sempre e é para sempre. TE AMO!
Mãe e Vitor, mais do que nunca, somos um só! Minha vida por vocês! 
#famíliaSoWen


Heda Wenzel 

5 de setembro de 2016 · Instagram · 

A cerimônia de despedida do meu pai, ontem, foi emocionante, nada formal, só sentimento, como ele sempre foi. Em minhas breves palavras lá, reforcei que meu pai, o irmão, o tio Renato, ainda vive, pois cada um de nós é um pedacinho dele que permanece para perpetuar sua história, suas estórias, suas ideias, seus exemplos, sua união. E, desta forma, ele se manterá conosco para sempre.
No momento em que meu pai deu seu último suspiro, às 14h30 do dia 03/09/16, uma chuva torrencial começou a cair em Floripa e nos acompanhou durante todo o velório, em Balneário Camboriú. A cerimônia começou às 17h do dia 04 e, às 18h, quando saímos para assistir a revoada de pombos brancos, tivemos a maravilhosa surpresa de nos depararmos com um céu de brigadeiro, azul, sem nuvens. Muitos acreditam que a chuva significa que a pessoa não queria partir. E meu pai não queria mesmo. Era um guerreiro e amante da vida. Aquele céu do fim da cerimônia foi um pequeno grande milagre e me mostrou que, enfim, ele ficou bem. E se ele está bem, vou lutar a cada dia para ficar bem e para que os meus também se sintam assim.
Se eu pudesse refazer essa homenagem, não mudaria um suspiro sequer. Ele mereceu cada lágrima, cada palavra, cada abraço.
 
OBRIGADA a todos que dispensaram seu tempo, carinho e atenção, presencial, virtual ou por telefone, para de alguma forma consolar a mim, à minha mãe, ao meu irmão ou ao meu pai. Uma família tão unida como a nossa não poderia suportar uma separação facilmente. Mas vamos seguir...
Obrigada especialmente ao meu amor e companheiro Eduardo Lannes, que vem me cobrindo de amor e parceria. E também à minha cunha querida, Juliana Pfleger, por fazer o mesmo com meu mano e todos nós. Meu pai certamente está feliz em ver tanto cuidado conosco.
E como a mãe cantou ontem: "Eu não sei bem por que fui gostar tanto assim... ah, se eu fosse você, eu voltava pra mim".
Coração dilacerado, mas transbordando amor.  ❤
#famíliaSoWen


Heda

7 de setembro de 2016 ·

Três dias após meu pai partir, chegou a hora do meu avô, pai dele, se despedir de nós. Aos 93 anos, vô Odilo teve uma vida maravilhosa, cujo maior legado foi esta grande e amada família Wenzel, com seus 13 filhos, 26 netos e um número cada vez mais gigante de bisnetos. 
Perdemos nosso patriarca, nosso artista, nosso contador de anedotas, nosso amado vovô que, mesmo sem saber, foi atrás do seu primogênito. Agora, juntos, cuidarão de todos nós. 
Fica a lembrança do quanto se amavam, como na foto do último encontro, em Junho deste ano. Mesmo com muito esforço, meu pai fez questão de viajar 800 km para vê-lo.
Graça Soares o levou. E como ficou feliz! "Choramos muito. Meu coração está em paz, mana", foi o que ele me disse na época. Há poucos dias, já no hospital, entre um sono e outro, meu pai acordou dizendo que ajudaria o pai dele. E no momento seguinte, meu avô estava internado.
São os mistérios da vida, permeados por um amor muito forte.
Vá em paz, meu avô. Vá em paz e cuida da tua melhor obra: meu pai. Um dia estaremos todos juntos novamente. Que setembro dolorido...
#famíliaWenzel


Heda Wenzel 

10 de setembro de 2016 ·

Há uma semana não vejo teus olhos azuis olhando os meus, embora ainda converse contigo várias vezes ao dia. Tua presença está tão viva, que, por vezes, olho para o lado ansiando ouvir tua voz. Ainda acordo achando que vou encontrar o café que preparaste me esperando na mesa. E quando vou caminhar na praia, continuo tendo as melhores e mais profundas conversas contigo, como sempre fizemos.

Há uma semana senti pela última vez tuas mãos acariciando meu rosto e teus dedos tentando segurar meu nariz, enquanto eu dizia pela enésima vez que te amo. A falta desse carinho vem aumentando a cada dia... e com ela também a tristeza. Pode soar soberbo, mas nunca pensei que passaríamos por isso... pelo menos não tão cedo. Sei lá, sempre fomos tão unidos, tão únicos, tão especiais, que acreditei que teríamos mais uns 20 anos pela frente. Sempre achei, ou melhor, sempre achamos, que o amor vencesse tudo. Dessa vez nem ele foi suficiente...

Há uma semana, mesmo sem te ver, tenho te sentido tanto aqui conosco! Me esforço para te imitar e dar continuidade a coisas tão tuas. Continuo fazendo o chimarrão na hora em que costumavas e daquele teu jeito tão peculiar, e tento, a cada momento, analisar essa situação que nos tirou o chão, a partir de alguma perspectiva bonita.

Isso aprendi contigo nos últimos anos e, especialmente, nos últimos meses. Quando a doença começou a dar seu bote implacável, foi aí, em meio à dor, que falaste as coisas mais positivas que poderíamos ouvir. E até o fim mantiveste tua positividade. Não fomos nós que te demos força, mas o contrário.

Eu sei, ainda é cedo. Ainda teremos muito tempo para relembrar todas as “últimas vezes com” e todas as “primeiras vezes sem”. Não tenho arrependimentos porque sempre te disse o quanto te amo e demonstrei o quanto te admiro como pai, como homem... o mais sábio que eu conheço. Só tento não esquecer os detalhes: teu cheiro, teu sorriso, o jeito de pronunciar o L, como choravas ao assistir orquestras, como gostava de dançar comigo e com a mãe, a falta da ponta do dedo indicador direito (perdida em um acidente com a moto), os cílios louros compridos (e as sobrancelhas também), os pelos... e a falta deles, a gargalhada mais gostosa do mundo..

Desconfio que essa dor física alojada no centro do peito vai me acompanhar para sempre, contrariando os avisos de que um dia ela se transformará em saudade. Sei lá, parece que de repente nossa órbita já não se encaixa mais na do restante do mundo. E aí penso que vai passar. Porque era isso que me falarias com toda a tua fé.

Te amo, meu Daddy! Beijos apaixonados da tua gatinha. Tu fazes muita, muita falta!  ❤ #famíliaSoWen


Heda Wenzel  sentindo-se incompleta

3 de outubro de 2016 ·

Há um mês o ciclo mais importante das nossas vidas foi encerrado e uma nova forma de levar os dias teve início: as lembranças das últimas vezes com e a travessia das primeiras vezes sem. A paz por te ver partir serene deu lugar à imensa e profunda dor da falta que fazes, e que transborda em lágrimas cotidianas.

Nesse mês descobri que, em meio ao choro e desespero diários, sou boa em disfarçar e em externar a mansidão de um semblante perene, mesmo vivendo um caos interno avassalador. Assim, acalmo os que estão ao meu redor, como fizeste conosco. Porque hoje sei que não fomos nós que te ajudamos, mas tu que o fizeste desde o início, com tua força e positividade até o último suspiro, que até hoje nos amparam e mantém em pé. Não vamos te decepcionar!

Nos últimos 30 dias conheci a revolta do inexplicável e intransponível que nos obriga a seguir em frente. Quando o coração aperta, me agarro à bênção de ter sido tua filha e me concentro no privilégio de ter partilhado 34 anos de felicidades com meu companheiro e melhor amigo, guardião dos meus segredos, meu maior torcedor, fã e ídolo. Porque entre nós sempre existiu a tríade: amor-cumplicidade-idolatria. Essa consciência ainda não basta para aplacar a dor dessa separação prematura, mas é uma forte âncora a que sempre poderei recorrer.

Nesse período aprendi que por melhores que sejam as intenções dos outros em nos dizer os passos do luto, como se fosse uma receita de bolo, cada experiência e relação são únicas e que não, ninguém entende o que estamos passando. A dor não se transforma em saudade porque saudade é dor. A gente tenta se acostumar e conviver com ela. Esse, eu sei, será meu desafio da vida. Não significa que não terei mais momentos felizes, apenas que jamais serei inteira novamente e que a felicidade será diferente.

Desde aquele sábado chuvoso do dia 3 de setembro converso contigo diariamente sobre a falta que me faz teu cheiro, teu abraço, teus beijos, teu carinho, tua gargalhada, nossos papos, tua voz me chamando de gatinha e dizendo que me amas. E repito mil vezes que te amo, meu amor maior, aguardando o dia em que poderemos dançar juntos novamente. Que saudade! Essa separação física dói nos quatro. Não tenho esperanças de compreendê-la um dia, mas algo dentro de mim diz que ainda estamos juntos e que voltarei a rever teus olhos azuis que tanto adoro. Preciso aprender a conviver, mas não a superar, porque te tenho. Pode deixar que, como pediste, continuarei cuidando da tua Gracita e do teu alemão. Confia em mim. Te amo, pai! 

Esse vídeo gravamos no último 14 de agosto, meu aniversário e dia dos pais, três semanas antes de tu e o vô partirem.

https://youtu.be/AMjCNZffR_8


Heda Wenzel com Vitor Sowen e outras 2 pessoas.

3 de novembro de 2016 · Instagram ·

Há dois meses partiste. São 60 dias de um vazio que ainda cresce e de uma falta que dói cada vez mais. São dois meses em que os momentos a sós oscilam entre o choro contido e o incontrolável, tentando achar um jeito de me acostumar com essa dor alojada no peito e me apegar às pequenas grandes coisas que me ajudam a não paralisar.

Entre elas estão todas as lembranças, desde as da luta até às mais remotas. Essas últimas, em especial, funcionam como um grande suspiro, preenchendo momentaneamente o coração de alegria, como essa foto. Eu AMO essa foto! Acho que ela registra bem o paizão que és. 

Que rasteira da vida... A impressão que tenho é que vais chegar em casa a qualquer momento, que vou olhar para o lado e tu me chamarás de “gatinha”, que vou acordar e tudo terá sido apenas o pior pesadelo...

Mas apesar da dor, não deixamos de fazer nada que tu querias estar fazendo. Até assim nos ajudas. Estar conosco também não é pesado. Sim, as lágrimas escapam vez por outra, mas são de lembranças boas e também trazem consigo o riso. Continuamos a falar muito em ti... e quero que seja sempre assim e cada vez mais. É bom saber que não faremos de ti um tabu, algo triste ou pesado. Ao contrário. Deve ser muito ruim viver em um ambiente onde falar de quem se foi remeta ao luto ou gere algum tipo de constrangimento. Não. Aqui em casa sempre vai remeter à vida. À nossa vida que tanto amamos e que nos deixou tanta saudade...

Após essa violenta tempestade que passou inesperadamente e levou tudo... será, e está sendo, um tijolinho de cada vez. TE AMO, pai. Sinto tua falta TODOS OS DIAS! Não tá fácil, mas vamos em frente. 


Heda Wenzel em Ninoy Aquino International Airport.

30 de novembro de 2016 · Instagram ·

Aqui na Ásia já é Dezembro...

Há apenas alguns meses conversávamos sobre a comemoração dos teus 70 anos, completados hoje, 1º de dezembro. Em dois dias fará três meses que partiste. Esse paradoxo ainda é perturbador. Ainda não acredito, nem aceito. Ainda choro horas a fio, quando aquela dor que se instalou aqui dentro simplesmente transborda. Não consegui me acostumar a ela, mas sei que estou no início do processo, então talvez isso aconteça... porque tirá-la daqui acho difícil. Não importa aonde eu vá ou o que faça, sinto tua falta todos os dias, lembro de ti em cada pequeno detalhe. Como sinto falta das nossas conversas francas... das tuas palavras sempre tão certeiras.

Enfim pai, esse é o primeiro 1º de dezembro que não temos dois aniversariantes em casa. Certa vez uma pessoa que admiro muito me disse que o triste de duas pessoas que se amam comemorarem aniversário no mesmo dia, é que quando uma delas se vai esse passa a ser um dia triste. Bem, estamos vivendo isso agora, o que me permite concluir que não concordo. Pelo menos não é isso que sinto. Ao contrário, acho que não teria dia mais lindo para o Vitor nascer, nem mais feliz. A falta sempre fará parte do nosso cotidiano. Então comemorar o aniversário contigo é uma honra, um privilégio.

Por isso, onde quer que estejas, te desejo paz. A mesma que pegaste no papel de natal do ano passado, a mesma que fazia parte do teu semblante no dia 3 de setembro. Paz e conforto. Aquele mesmo que nos falaste que estavas sentindo no hospital por ter eu, a mãe e o Vitor contigo em todos os momentos. Não é fácil para nós, não deve estar sendo para ti também, mas como te prometi, vamos tentar levar da forma mais leve possível, pois o reencontro é garantido! EU TE AMO mais do que tudo na vida! Feliz 70, meu gatão!!

Mano, logo estou chegando para te abraçar e transmitir toda a boa energia para te acompanhar nesse ano que se inicia. Que não faltem motivos que te façam sorrir e te sentir pleno, realizado. Te amo infinito!! #daddysbday#brosbday #paifaz70 #manofaz33 #famíliaSoWen #muitoamorenvolvido ❤️


Heda Wenzel adicionou um novo vídeo: Vídeo de Retrospectiva de Heda.

9 de dezembro de 2016 ·

Tenho visto todo mundo reclamar de 2016. Sem dúvida esse foi o ano mais difícil e triste da minha vida. Tbm foi um péssimo ano para o país (empreiteiras, corrupção, eleições) e para o mundo (guerras, desastres naturais, refugiados, Trump). Mas preciso dizer que sentirei muita, mas muita saudade desse ano, o último que convivi com meu pai com saúde, que ganhei dele uma bitoca na boca, que ele ficou horas acariciando meus cabelos enquanto assistia sua novela, que comi da sua comida maravilhosaaaa, que atendia às suas ligações com o inconfundível "oi, gatinha", que ele me escreveu uma carta de aniversário e cantou parabéns comigo olhando em meus olhos, que colheu flores para me dar, que andou comigo na praia e entrou comigo no mar... a praia, especialmente Itapema, onde sempre batíamos altos papos. Que saudade da nossa última dança de vanerão aqui mesmo, na sala de casa. Apesar dos pesares, 2016 vai deixar em mim a maior saudade de todos os tempos... saudade da minha própria vida. Mas estamos seguindo, meu guri... estamos seguindo ...


Heda Wenzel 

3 de fevereiro 

Pai, há cinco meses vivemos o dia mais surreal da nossa estória. Desde então venho vivenciando um longo processo que ainda não sei denominar, pois me foi imposto, goela abaixo. Janeiro, até agora, foi o mês onde mais lágrimas rolaram. Quando tudo parece, enfim, começar a entrar nos eixos, para mim foi ficando mais difícil. Talvez por saber o quanto tu desejaste a minha volta e o quanto eu queria que estivesses aqui participando de tudo... e também por te sentir ainda tão presente, mesmo não podendo te dar aquele abraço que tanto amo.

Então me pus a deixar a casa em ordem, com a minha cara, no melhor estilo “faça você mesmo” que tu e a mãe sempre ensinaram. E foi bom... foi ótimo! Pensei muito em ti e sei que deves estar orgulhoso da tua gatinha aqui.

Mas o coração ficou muito apertado... muito. Porque tua partida não faz o menor sentido. Estava tudo bem e a mudança foi tão rápida e abrupta! Sei que nunca vou entender e não perco tempo perguntando o motivo, mas tá difícil aceitar. Eu tento, mas ainda não consigo. Por isso, me concentro em pedir paz aos nossos corações. Porque essa separação é a parte mais difícil e teremos que conviver com ela até estarmos juntos novamente. Enquanto isso, tento me espelhar em ti e na mãe e sigo falando muito em ti. Isso ajuda a aplacar a saudade e é uma forma de te fazer eterno para todos e, principalmente, na minha rotina. Fazes muita, muita, muita falta. Eu TE AMO! Tua filhota.

PS: Se eu pudesse pedir apenas uma coisa na vida inteira, seria: volta!  ❤


Heda Wenzel 

3 de março 

São seis meses sem teu cheiro, sem dar uma bitoca na tua boca (como sempre fazíamos), sem ver as manchas de sol na tua pele ou aquele meio dedo que a moto levou antes mesmo de eu nascer. Sem perceber a pronúncia marcante do teu L nas palavras ou assistir o movimentar pleno das tuas mãos (como se carregassem um punhado do mundo) quando explanavas alguma ideia. Sem rir da tua risada, com meia língua para fora, denunciando os dentes separados e que era, sim, a mais gostosa, poisquantas vezes ouvimos que “a piada nem era muito boa, mas essa risada do Renato...”? Sem brincar com os pelos fartos do meu urso preferido. Sem ser surpreendida com os questionamentos mais profundos e as ponderações mais exatas deste mundo: “Eu queria saber o que é felicidade pra ti”? Sem as perspectivas mais positivas, independentemente do cenário. Sem me puxares pelos braços no mar, como se eu ainda fosse aquela guriazinha de cinco anos... uma coisa tão nossa! Sem caminharmos juntos pela orla (porque sempre, ao menos, tentamos ser fitness, né?). Sem eu te chamar de “meu daddy” e sem ouvir “minha gatinha”. Sem receber a resposta mais certeira, direta e simultânea à tradicional pergunta: “Me amas”? Sem a pessoa que mais gostava de passar o tempo fazendo carinho em meus cabelos e sem o carinho que mais me faz falta nesse mundo. Sem o meu maior puxa-saco... e como faz falta a vida (e até a rotina) sem esse olhar protetor e encorajador sobre as minhas pequenas e grandes atitudes.

Enfim, pequenos detalhes que há seis meses deixam um vácuo imenso nesse planeta e aquela saudade que, de tão surreal, acho que nunca conseguirei descrever em palavras. Os braços pesam a falta do teu abraço, o coração aperta na explosão de um amor que não se mede e que transborda em lágrimas e soluços que carregam o peso dessa dura realidade imposta. Ainda é pesado. Acho que sempre será. O peso da grande falta do ser humano ímpar, do homem maravilhoso e do melhor PAI e AMIGO do mundo... não tem como ser diferente. TE AMO e TE ADMIRO... tu sabes e sempre soubeste o quanto! Obrigada por ser meu e por sempre me dar tanto!  <3 #volta


Renato Sowen Motor Home

7 de março de 2014 ·

Amanhã o dia é dedicado às mulheres. Eu tinha assumido que não comemoraria este dia no dia 8 de março, para fugir do lado comercial da data, embora ela tenha um forte apelo histórico. Hoje, o sentimento fala mais alto e, por isso, preciso falar, de modo especial, de 3 mulheres. A primeira, a mais importante da minha vida, a que amo profundamente e que é a minha companheira de todas as horas. Mas não só por isso, pois esse é o meu lado. Ela representa a mulher no sentido cidadão, lutadora pelas causas justas em favor de uma sociedade melhor, mais ética e mais justa. Mas hoje, eu quero salientar o lado mulher, parceira de um homem. E aí, o felizardo sou eu, pois quero ela do meu lado sempre. Te amo Gracita e não posso reduzir a homenagem a apenas um dia. Um beijão especial. A segunda, é consequência do amor com a Gracita. Não sei se características de personalidade são hereditárias. No caso, penso que sim, embora ela certamente constrói dia a dia a sua ética, seu profissionalismo e um amor sem medidas à família e aos amigos. Mulher de personalidade forte. Falo da minha gatinha, da Hedinha que tanto amo e admiro. E, a terceira, que na verdade, sob o ponto de vista cronológico, foi a primeira. Ela me trouce à vida. Portanto, sem ela eu não existiria. Mãe, não poderia deixar de prestar minha homenagem à senhora, que viveu e vive seu lado mulher ao seu modo durante já 90 anos e que desperta em mim um sentimento filial muito forte. A estas mulheres a minha homenagem especial. A todas as demais, irmãs, cunhadas, tias e sobrinhas vai um sincero PARABÉNS e que sintam orgulho do que são e celebrem sempre com alegria a vida.

Heda Wenzel

8 de março ·

Até o ano passado, no dia de hoje ele nos agradaria com flores, café da manhã especial, post maravilhoso e essas coisas que nos fazem sentir especiais. Há cinco anos ele (e nós) vencíamos um infarto inesperado. Há 35 anos minha mãe ouvia meu coração bater pela primeira vez.
8 de março é realmente um dia especial em nossa família.
Este ano é o primeiro em que ele está conosco de outra forma, por isso quero enaltecer, mais uma vez, a força e a garra da mulher que me inspira todos os dias: minha mãe. Hoje vives a batalha mais difícil e há seis meses, se eu achava que já te admirava muito, te admiro ainda mais. Obrigada por em meio a essa dor avassaladora, ser meu porto seguro. Eu te amo e não sei o que seria de mim sem ti. És a mulher mais incrível que existe! Feliz nosso dia, meu amor!
#diainternacionaldamulher


Heda Wenzel 

3 de abril 

Sete meses. Nesse tempo venho percebendo cada etapa: O luto, denso, esmagador e ainda não superado. O “não paralisar”, que por tua causa vivemos em paralelo ao luto e, graças a isso, não caímos (obrigada!). E a retomada, que acontece em pequenos detalhes e grandes acontecimentos.

Por “coincidência”, hoje inicio uma fase que era muito o teu desejo para mim aqui em Floripa. Anteontem a mãe (corajosa!) viajou de motor-home para participar de um encontro que adoravas e onde foste homenageado ano passado. Esse mês também foi o último capítulo novela que começou quando ainda estavas aqui e assisti à nova temporada da série que via quando estava contigo no hospital. Parece bobo, mas essas coisas tangibilizam essa tragédia real e que não tem volta.

Esse mês lembrei de quando saíamos de férias e puxavas o coro SoWen: “Viva as férias”! E quando, juntinhos na tua cama durante uma crise de dor crônica, interrompeste os gemidos, me olhaste e falaste: “Mas mana, não temos do que reclamar, né? Olha o paraíso que temos na Lagoa, o paraíso que é o motor-home e o paraíso aqui em Itapema” (és INCRÍVEL!). Essas lembranças me fortalecem diariamente e na presença de quem reclama, inventa doenças para chamar atenção e não valoriza essa vida que amavas tanto. É triste... de dar pena e, ao mesmo tempo, tento entender a injustiça de, logo tu, não estares aqui.

Pela imensa saudade dos pequenos grandes momentos, compartilho essa foto que fizeste de mim há exatos dois anos, aqui no quintal do nosso paraíso da Lagoa da Conceição, quando fomos pegar umas carambolas: “Mana, vai colhendo aí que vai ficar uma foto bonita, muito melhor do que essas posadas”. 

                 foto carambola

Até agora, três clarezas: a de que não vou entender, mas terei que ‘entubar’ tua partida. A de que a vida continua e que, a despeito da dor, é preciso ter paciência e um grande sorriso no rosto. E aquela que se sente, não se explica, mas apazigua o coração: não é o fim, estamos juntos e um dia, de alguma forma, vou te sentir em meus braços de novo, meu daddy. A vida não é justa, mas se tu a amavas tanto, isso já me basta para continuar e querer te orgulhar sempre. TE AMO! Muita saudade, tua gatinha.


Heda Wenzel  sentindo-se saudosa.

3 de maio ·

Na vida muitas coisas não se explicam. Hoje, exatamente quando completam 8 meses dessa falta extrema que fazes, uma música que, a princípio, não faria parte das minhas escolhas, "escolheu" jeitos diferentes de aparecer no meu dia. Ao prestar atenção na sua letra, percebi que nem todas as coisas precisam ter explicação para fazer todo o sentido.
É isso aí, pai: estamos juntos SEMPRE! "O tempo não muda nada".. e eu te amo mais do que tudo!
 


Heda Wenzel 

3 de julho 

Oi, meu daddy!
Hoje, às 14h30, completamos 10 meses da tua passagem. Se não fosse essa dor latente de saudade, não diria isso. Porque ao mesmo tempo em que a tua falta fica mais aguda, fazes tão parte dos meus pensamentos cotidianos, que continuo te sentindo presente. Digamos que os nossos telefonemas de domingo tornaram-se diários.

Conversar contigo e te sentir comigo, como acontece várias vezes, ajuda a suportar, mas não acalma o coração. Ainda é muito surreal. Injusto. Mas eu agradeço a oportunidade de partilhar contigo 34 anos do meu caminho e te ter como exemplo máximo em tantas coisas. Obrigada. Mil vezes obrigada.

Por aqui estamos seguindo do jeito que gostas, nos esforçando para ver cor nesse mundo que ficou cinza, para valorizar os pequenos motivos de felicidade, para correr atrás dos sonhos e encontrar algo que nos dê prazer.

A mãe, guerreira que é, está se saindo bem na missão de continuar aqui conosco. Eu mesma não sei de onde vem tanta força. Choramos muito, choramos juntas, mas sorrimos também. Ela vem dando conta das coisas práticas e não práticas da vida. Vem redescobrindo seu lugar no mundo. Recalculando a rota. E nos enchendo de amor e orgulho, como sempre.

O mano, embora continue ansioso, vem concretizando alguns sonhos importantes e nos deixando muito felizes, por tabela. Meu retorno nos deixou ainda mais parceiros e ele me dá demonstrações diárias de que é a pessoa com quem posso contar sempre! Gostamos de fazer programas juntos, trocamos muito. Enfim, meu amigo e meu “parça” de verdade.

Tua gatinha está em paz, com o coração preenchido e cada vez com mais certeza de ter em casa o melhor alicerce que poderia. Duda não mede esforços para me ver feliz. Fica sossegado! Bom, continuo com alguns velhos defeitos, mas algumas qualidades novas. A dor tinha que servir para algo, né?

Tu e tudo aquilo que é só teu me faz falta todos os dias. Em todos os momentos. Embora eu sinta que continuamos juntos, só com escalas/agendas diferentes.

Temos um encontro marcado logo mais, nos meus sonhos. Não vai esquecer!

Um beijo cheio do maior amor do mundo. E aquele abraço BEM apertado que preenche a alma!

Te amo, meu urso!  ❤ #pai #famíliaSoWen #volta


Heda

Dia dos pai E se eu pudesse ouvir um conselho agora, queria que fosse o teu. E pudesse ouvir uma piada agora, queria que fossem as tuas. E seu eu pudesse comer a melhor feijoada do mundo, teria que ser a tua. E se eu pudesse dançar um vanerão agora, teria que ser contigo. E se eu precisasse falar com meu melhor amigo, só poderia ser contigo. E quando eu quero me inspirar, penso em ti. E quando penso nos exemplos que quero passar aos meus filhos, penso em cada um que me passastes. E quando eu penso no melhor lugar para estar agora, seria nos teus braços, recebendo aquele cafuné que só tu sabes fazer. Porque eu sei que tenho a sorte de ter o MELHOR pai do mundo!! Feliz dia dos pais, homem da minha vida!!  <3

Ele é TUDO pra mim! Uma vez me disseram que eu vim pra esse mundo neste momento, neste país e nessa família atrás dele, por causa dele... e eu não tenho a menor dúvida disso! Te amo, meu melhor amigo, meu herói, meu pai!! Feliz Dia dos Pais, melhor do mundo!! #mydad #amormaior #minhapaixão #famíliaSowen ❤ ❤

Heda dia dos pais em ago 2017

Não precisa de filtro para falar desse homem que, há 35 anos, é precursor do modelo de pai participativo e presente, tão em voga e exaltado ultimamente. Me deu meu primeiro banho, trocou fraldas, minhas cólicas só passavam no colo dele, fez papá, deu bronca e deixou de castigo sempre que precisou, também esteve na primeira fila me aplaudindo em todas as oportunidades. Ouviu meus maiores segredos e sempre teve algo relevante a dizer sobre cada um. Viajou comigo, dançou, chorou e sorriu muito comigo também. Me amou desde o primeiro segundo... assim como eu o amei e o amo. E é esse amor que me dá a convicção de que além da certeza da partida, há também a do reencontro! Te sinto sempre comigo e isso é muito! 
Obrigada por escolher ser meu, melhor do mundo! Te amo, pai!! 


Heda

Hoje o FB acabou comigo. Amanhã, dia 3, serão 11 longos meses da tua ausência. 11! Um ano dia dia mais difícil que vivemos em todo o tratamento e que enfrentamos juntos!

Como queria que estivesses aqui para ver tanta coisa (talvez estejas), para comemorar tanta coisa (talvez estejas), para me dar teu colo e o teu cafuné (talvez estejas). 11 meses sem meu chão, minha paixão, meu melhor amigo, parceiro, conselheiro e pai. Sem a voz, o cheiro e as mãos dadas...

Ando sentindo saudade de dançar contigo, em casa, como sempre fazíamos. Só hoje percebo como isso é raro. Um conselho a todas as minhas amigas: dancem com os seus pais! Embora tenhamos feito muito isso, faz uma falta muito grande.

Como diz o Facebook nessa lembrança, embora existam bilhões de amizades, SÓ TEM UMA como a sua. Que sorte a minha. Que sorte a nossa! Te amo e penso em ti TODOS os dias (tu sabes) e por isso carrego a certeza de que estamos, e sempre estaremos, conectados. Obrigada por me ouvir e continuar me aconselhando. Vcs são a razão de tudo! #pai #volta #11meses#amormaiordomundo #paiemãeourodemina #famíliaSoWen Renato Sowen Motor Home Graça Soares Vitor Sowen

365 voltas em torno de um sol cinza chumbo. Pai, sabes que muitas coisas aconteceram desde aquele sábado chuvoso. Apesar das nossas conversas diárias, a saudade ganhou o peso do tempo e a intensidade da imensa falta do teu cheiro e do teu corpo entre os meus braços. Ainda não aprendi a lidar com ela... talvez nem tenha esse talento. Dói. Dói muito. Dói todos os dias. Embora ainda não consiga sentir felicidade e as lágrimas sejam visitas constante, nesse período preciosos momentos e pessoas conseguiram arrancar meu riso. E por isso sou grata.

Acho que não evoluí muito nesse ano. Ainda vejo o céu carregado, mas sei que nesse caminho não há volta. Agora acabou a fase das primeiras vezes e, embora o furacão talvez tenha passado, ainda é densa a tempestade. Não tem como não ser assim a falta de um ser humano tão imenso.

EU TE AMO, meu daddy, meu amor, minha vida!

Vamos seguindo do jeito que dá, mas seguindo... como sempre nos deste o exemplo! #volta #pai #famíliaSoWen #UmAnoDaMaiorFaltaDoMundo

3 comentários:

  1. Vocês viveram uma belíssima história de amor e cumplicidade. Certamente foram feitos um para o outro.
    Me emocionei muito ao ler. Grande beijo. Lú

    ResponderExcluir
  2. Sempre acompanhei pelas redes sociais à história de amor de vcs.
    Serve de exemplo para muitos.
    O amor tudo pode, Tudo crê, Tudo suporta....
    Hj eu acredito no amor além da vida.
    O amor de vcs é eterno.
    Um grande beijo no seu coração prima.

    ResponderExcluir
  3. Eliana Bess d'Alcantara10 de setembro de 2017 14:02

    Nós não nos conhecemos pessoalmente, mas estava sempre acompanhando suas viagens, desde que me encontrou no FB. Sempre gostei de ler sobre elas, admirando este estilo que adotaram para aproveitar e curtir a vida. Vi também os posts sobre a última grande cirurgia que seu esposo fez, sem ter ideia do tipo de cirurgia, e nem de qual enfermidade ele sofria. Continuei acompanhando, depois um “sumiço” (meu também porque perdi minha mãe dois meses antes, depois de quase 1 ano hospitalizada), até que há algum tempo vi um novo post, e com pesar percebi que seu companheiro de vida havia partido.
    Ele foi, simplesmente, admirável até o fim!! E como psicóloga, fiquei feliz em ler o que o hospital ofereceu para que ele tivesse o acolhimento e o aconchego tão importantes e necessários nessa fase final da vida. Ele amava a vida, mas partiu em paz.
    Acaba de completar um ano, e imagino que para você e seus filhos parece que foi ontem. Vocês viveram uma linda história e pelos belíssímos registros fotográficos, sei que há memórias incríveis para sempre preservadas, e sempre fresquinhas na memória. “Como um pássaro cantando na chuva, deixe memórias agradáveis sobreviverem em tempo de tristeza”. Robert Louis
    A amizade é virtual, mas eu me afeiçoo, me alegro e sofro junto. Receba meu forte e carinhoso abraço. Eliana

    ResponderExcluir